plano de saúde coletivo
Plano de saúde, Saúde populacional

Como escolher o melhor plano de saúde coletivo para a minha empresa?

O plano de saúde coletivo é um dos benefícios mais visados pelos colaboradores nas empresas, principalmente por conta do sucateamento do sistema de saúde pública do Brasil, o que o torna um item essencial no pacote de vantagens oferecido na hora da contratação.

Todavia, escolher a operadora de saúde e o melhor modelo que se encaixe nas necessidades dos seus funcionários pode parecer uma missão bem desafiadora. Por isso, separamos algumas dicas para ajudar a fazer a escolha certa ao contratar um plano de assistência médica coletivo. 😉

Qual é o papel da operadora de saúde?

As operadoras de saúde são organizações juridicamente autorizadas pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) a administrar, comercializar e disponibilizar os planos de saúde.

Dentre as operadoras de saúde que operam no mercado brasileiro, existem alguns modelos que diferem a forma de atuar na distribuição dos planos de assistência médica entre si:

Cooperativas: planos privados de assistência médica e hospitalar;

Administradoras de benefícios: são responsáveis por gerenciar planos de saúde e odontológico coletivos por adesão ou empresariais;

Administradora de planos: encarregadas de administrar os planos de saúde, não possuindo hospitais próprios ou rede privada;

Seguradoras: oferecem seguro-saúde, de acordo com as normas e autorização da ANS.

Entender a função das operadoras de saúde e como elas atuam no setor é fundamental para garantir a segurança da sua empresa como contratante e otimizar as cotações realizadas pelo departamento de Recursos Humanos.

Quais pontos são essenciais para avaliar na escolha de um plano de saúde coletivo?

  1. Fique atento a cobertura do plano de saúde

De acordo com a regulamentação da ANS, a operadora de saúde possui a obrigação de cobrir consultas, exames, tratamentos, hospitais, laboratórios e próteses. 

Antes de assinar o contrato, é preciso observar rigorosamente se a operadora cumpre todos esses requisitos de cobertura.

  1. Analise a rede referenciada

Ao receber uma proposta de plano de saúde, verificar quais hospitais seus funcionários poderão frequentar é um ponto importante, pois irá afetar o preço do benefício e o conforto dos colaboradores.

Por isso, duas coisas precisam ser levadas em consideração:

  • Encontre operadoras de disponibilizem centros médicos de qualidade em sua rede. Melhor do que ter um único hospital de referência nacional, que irá encarecer o plano, é contar com uma vasta opção de hospitais e centros médicos com atendimento de qualidade.
  • A localização precisa ser inclusiva e de fácil acesso, perto de onde os funcionários moram ou costumam circular, principalmente para atendimentos emergenciais.

Como funciona o reembolso e a carência?

  1. Reembolso

Em casos de emergência, como um acidente em uma região onde não há a cobertura do plano de saúde, o beneficiário tem direito a consultar com um médico não credenciado  a rede ou um especialista de confiança.

Considerando isso, duas coisas precisam ser analisadas:

  • Facilidade de solicitar o reembolso;
  • A coerência do valor do reembolso, considerando os preços praticados na região.

Opte sempre por operadoras que tornam esse processo menos burocrático e que pratiquem o reembolso dos valores de uma forma justa e eficiente.

2. Carência

A carência é o período pelo qual o beneficiário precisa esperar para utilizar o plano de saúde. 

Para regulamentar essa espera, a ANS determina alguns prazos, como:

  • 24h para casos emergenciais;
  • 24 meses para doenças que já eram do conhecimento da pessoa, antes de contratar o plano
  • 300 dias para procedimentos obstétricos;
  • 180 dias para as demais situações e procedimentos.

Na maioria dos casos, as operadoras ofertam prazos bem menores, visando criar um diferencial competitivo. 

Avaliar esses dois fatores é uma forma de garantir mais comodidade e satisfação para o colaborador, além de agregar ao benefício ofertado pela empresa.

plano de saúde coletivo

Como avaliar as operadoras de saúde antes de contratar o benefício?

Para auxiliar na escolha do melhor plano de saúde, a ANS disponibiliza alguns arquivos em seu site, onde é possível verificar a qualidade dos hospitais, clínicas e laboratórios credenciados, consultar os dados e planos disponibilizados pela operadora, analisar o índice de desempenho e as reclamações, além de monitorar a garantia de atendimento.

Através disso, você saberá se o representante da operadora está passando todas as informações necessárias, e se as reclamações apresentam um problema grave, que impediria a contratação do plano.

O que devo levar em consideração na hora de escolher o plano de saúde coletivo na minha empresa?

Contratar um plano de saúde envolve um alto custo, uma série de obrigações legais, análises e validações. Se a sua empresa fechar negócio com um plano de saúde que não seja adequado para o perfil dos seus colaboradores ou para a disponibilidade financeira, as chances de não ter sucesso na adoção do plano é muito alta.

Por isso, algumas coisas precisam ser consideradas ao escolher um plano de saúde coletivo:

  1. Perfil dos funcionários

Na hora de analisar o perfil dos funcionários, é necessário entender alguns pontos, como:

  • Qual a porcentagem de funcionários que já possuem um plano de saúde privado?
  • Qual o perfil de saúde dos meus funcionários? Possuo muitas pessoas com doenças crônicas ou um histórico preocupante? 
  • Qual a disponibilidade financeira dos meus colaboradores? Concordariam com um plano coparticipativo?

Essas questões ajudam na hora da assertividade ao contratar uma operadora de saúde, além de influenciarem diretamente no valor investido pela empresa.

  1. Ações de prevenção na empresa

Cuidar da saúde dos colaboradores vai muito além de ofertar um plano de saúde: é preciso atuar preventivamente, pensando em um bem estar coletivo e na diminuição de custos com procedimentos de saúde.

Levando isso em consideração, antes mesmo de adotar um benefício de assistência médica coletivo, certifique-se que irá promover ações afirmativas, como incentivo aos exercícios físicos e alimentação saudável. Isso fará uma grande diferença para a qualidade de vida dos funcionários e para os custos com procedimentos médicos complexos para a empresa.

Conte com uma corretora de seguros para ajudar você nesse processo!

Existem inúmeras corretoras de saúde especializadas em planos coletivos, que atuam analisando o perfil da empresa e o quadro de funcionários, considerando isso para apresentar as melhores propostas para o seu negócio.

Além disso, as corretoras são responsáveis por gerenciar o benefício, garantindo mais conforto e praticidade para você. Em alguns casos, é possível contar com um sistema de inteligência de dados em saúde, onde a corretora irá acompanhar os índices de saúde da sua empresa, disponibilizar painéis dedicados para a análise do uso do benefício e a identificação do perfil de saúde dos colaboradores.

Leia também: Como incentivar os funcionários a saírem do sedentarismo?

E aí, curtiu nossas dicas? Então fica de olho no nosso blog, que em breve iremos falar sobre os tipos de plano de saúde e sobre o papel da inteligência de dados em saúde nas empresas! 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *