cultura de dados
Inovação, Inteligência de mercado

Cultura de dados: como desenvolver na sua organização

Vivemos em um mundo digital na era da informação, e isso faz com que a nossa rotina esteja repleta de mudanças. Em relação ao mercado, a realidade não deixa de ser a mesma. Conforme a tecnologia avança, as empresas precisam encontrar formas de fazer análise sobre as ações replicáveis que dão certo e as que não funcionam e devem ser evitadas.

Não é à toa que é cada vez mais comum ver profissionais da área da saúde usando termos como big data, machine learning e data analytics. A captação de dados tem vários propósitos: melhorar o atendimento, realizar diagnósticos sem erros, fazer exames mais precisos e prevenir acidentes com documentações são alguns deles. 

Para entender melhor o que é a cultura de dados, quais são os seus benefícios e como implementá-la da melhor forma, continue lendo esse artigo. 😉

O que é a cultura de dados

Coletar e registrar informações de pacientes e procedimentos parece ser algo tão simples quanto preencher um formulário, mas na prática a realidade é totalmente diferente. Se tratando da rede de saúde, são 210 milhões de brasileiros com diferentes acessibilidades para registro e acompanhamento.

Por isso, é necessário que haja um modelo organizacional em que todas as ações sejam planejadas de acordo com a análise e o cruzamento de informações. Essa é a cultura de dados (Data Driven), que torna todas as decisões estratégicas e funciona com a ação e reação dos próprios resultados.

As corretoras que têm a cultura de dados estabelecida estão sempre buscando novas formas de coletar, armazenar e analisar dados. Isso com a constante preocupação com a credibilidade de informações e preservação dos beneficiários e colaboradores.

Benefícios da cultura de dados para corretoras de saúde

Com a coleta ideal de dados, a sua corretora tem ferramentas que podem auxiliar diretamente na gestão da saúde dos seus beneficiários e colaboradores. Através do Data Driven, é possível manter relatórios financeiros, demonstrações de dados estatísticos do perfil demográfico, além de ranking de utilização por beneficiários, indicadores de taxa de internação, e outras informações essenciais para o setor.

Com uma boa análise de métricas, é possível realizar projeções precisas que facilitam todo e qualquer tipo de planejamento, já que a coleta ideal de informações tem o poder de trazer respostas objetivas para o seu setor. Confira mais benefícios que a Wellbe separou pra você:

Eficiência e estratégia

Pelo Data Driven, a sua corretora garante que todos os colaboradores trabalhem com assertividade e a certeza de quais são os pontos críticos para a melhoria da saúde dos beneficiários, o que influencia se algum esforço deve ser poupado ou intensificado.

A partir da análise de dados e comportamentos dos beneficiários com a personalização de ações e estratégias, é possível oferecer experiências mais significativas para cada perfil de usuário.

Um simples comunicado via e-mail marketing, por exemplo, pode ser melhorado com a definição de um horário melhor condizente aos acessos de um usuário específico. Esse tipo de adequação traz aproximação com os clientes e gera valor e fidelização para a corretora de saúde.

Precisão de metas

Com a coleta e análise de informações sobre o setor de saúde e o desempenho da corretora, suas metas se tornam mais alcançáveis e reproduzíveis, o que torna todos os processos mais produtivos.

Outro aspecto positivo da precisão de metas é que isso possibilita que a atenção em cada tarefa não seja desperdiçada (seja com tempo ou recursos) em algo que não trará bons resultados no futuro.

Foco nas necessidades

Com as metas definidas e a cultura de organização agindo no cotidiano, é mais fácil identificar quais são as carências do setor de saúde, do mercado e do beneficiário, trazendo mais clareza em relação às tarefas do dia-a-dia e os resultados de curto a longo prazo.

É através dessa perspectiva que também se torna útil e possível avaliar as demandas externas que a sua organização pode ou não se adequar de acordo com as métricas que forem avaliadas.

cultura de dados

Como implementar a cultura de dados

Faça um planejamento: quando a cultura de dados está prestes a ser adotada, é fácil cair na tentação de abraçar todas as métricas e querer mensurar o controle de tudo. A melhor direção, no entanto, é pesquisar o que está de acordo com o perfil da sua corretora e manter apenas o fluxo de informações que é indispensável para o seu crescimento.

Invista melhor: os dados coletados só têm valor quando uma equipe de profissionais sabe como trabalhar com eles da forma ideal. É preciso construir insights e estratégias a partir de cada análise. Por isso, os gestores precisam avaliar a produtividade e o desempenho dos profissionais para investir melhor em recursos e tarefas estratégicas.

Trabalhe com um time: essa cultura nada mais é do que um mindset, e por isso os profissionais envolvidos devem sustentar essa mentalidade e manter uma rotina ágil. Assim, todos fazem parte dos resultados alcançados e ficam mais dispostos para qualquer adaptabilidade.

Defina uma plataforma: a maneira mais eficaz de garantir a implementação da cultura de dados é com um sistema inteligente! A Wellbe, por exemplo, é uma ferramenta criada para unificar todos os dados de saúde em um único lugar, e é capaz de fazer a coleta de diferentes fontes, como operadoras e seguradoras de saúde suplementar, que facilitam a gestão de saúde. 

Leia também: O que são Insurtechs?

Gostou do nosso conteúdo sobre a cultura de dados? Qual é a sua opinião sobre os benefícios para as corretoras? Conta pra gente nos comentários! ⭐

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *